TPM: Transformadas para Melhor

É uma grande alegria e uma honra escrever pela primeira vez um artigo para nosso novo site. Esse texto tem como público alvo as mulheres, mais creio que o assunto que vamos tratar é comum a todos nós, seres humanos!  Tudo bem, nós mulheres estamos em vantagem, pois é MUITO BOM ser mulher! MUITO BOM mesmo! Agradeço a Deus por isso todos os dias. Podemos chorar feito loucas,  dar piti, no trabalho,  fazer escândalo no meio da rua, comer uma caixa inteira do bombons em dez minutos, fazer um montão de barbeiragem no trânsito,  brigar num só dia com toda a família  (incluindo os primos distantes)  e colocar inteiramente a culpa na TPM. Não é fantástico? rs Mas há quem se aproveite de um período tão delicado e específico da mulher pra justificar erros ou falta de compromisso, como faltar no trabalho, nos compromissos da igreja ou até mesmo das responsabilidades familiares.

Pode reparar, temos muita facilidade em justificar nossos erros colocando a culpa em outras pessoas, animais e até objetos; como chegar atrasado no trabalho  porque o celular não despertou, o carro quebrou, o cachorro fugiu, o motorista do ônibus não parou… só nos esquecemos de lembrar que o celular não despertou porque deixamos de programar na noite anterior, o carro quebrou porque há um ano não o levamos para uma revisão, o cachorro fugiu porque nunca nos importamos em adestrá-lo e o motorista do ônibus não parou porque nunca nos incomodamos em cumprimentá-lo e tratá-lo com cortesia, e da mesma maneira ele não se importou em nos deixar no ponto de ônibus com cara de bolacha… rs

Por falar em carro, preciso dar um testemunho. Rodei com meu carro, por aproximadamente quinze dias, praticamente sem freio! Isso mesmo. rs Comentei com meu esposo que meu carro estava fazendo alguns barulhos bem estranhos, mas ele pensou ser um exagero da minha parte e imaginou que seria uma pedrinha na roda… e eu acreditei nele. Sem jogar a culpa pra cima do marido, afinal, santa ignorância mecânica minha! rs Se não fosse a misericórdia do Senhor,  talvez nem estivesse aqui para escrever esse artigo… e você não estaria se divertindo com ele! rs

mulher moderna

A verdade é que somos ótimos em justificativas e nos sentimos protegidos por elas, ficamos confortáveis. Tem uma frase que resumem bem o que quero dizer: “aquele que é bom de justificativa, é péssimo em arrependimento”. Rei Davi, considerado pelo próprio Deus como um homem segundo o Seu coração, ao contrário de nós, em várias circunstâncias, foi  movido pela auto análise e pelo arrependimento. No Salmo 51:4 ele diz “Pequei contra Ti, contra Ti somente, e pratiquei o mal que tanto reprovas. Portanto, justa é a tua sentença, e incontestável, ao julgar-me condenado”. Que homem corajoso, de caráter, ensinável! O mundo seria tão mais agradável e seguro se agíssemos como ele, considerando nossas falhas e preparados para ceder e buscar transformação.

Falando francamente, de mulher para mulher, não foi a calça que encolheu, nós é que comemos muito chocolate, não foi o celular que quebrou, nós e que o derrubamos na privada,  e por aí vai… Vamos parar de colocar a culpa nos outros, vamos renovar as nossas mentes, vamos transformar o mundo ao nosso redor a começar de nossas pequenas dificuldades diárias e imperfeições. Davi diz no Salmo 139 “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau” O livro de Romanos, no capítulo 12, continua  essa auto análise afirmando: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. 

Renove sua mente,  transformando as pequenas coisas que estão ao seu redor, e que são causadas e controladas pela nossa própria responsabilidade. Você verá que justificativas, ou culpar a TPM por (quase) tudo não será mais necessário, pois você, mulher incrível, tem assumido as responsabilidades e executado com excelência, como lhe é de costume! ;)

 Medite nisso! 

 

Um  grande  beijo,

Pra. Camila Serragiotto Andrade